algo a+

blog
4 tendências em PR para aplicar em 2021

4 tendências em PR para aplicar em 2021

É notório que neste ano os profissionais que atuam com relações públicas e assessoria de imprensa mostraram o quanto esse trabalho é fundamental. Com a pandemia, as empresas entenderam, cada vez mais, a importância de investir em posicionamento de marca, reputação, e relacionamento com suas audiências.

O mundo hiperconectado promove novos desafios e oportunidades para o mercado de PR, por isso, compartilhamos 4 tendências para aplicar em 2021, de acordo com o pesquisador João Francisco Raposo.

Campanhas de comunicação com SEO PR

Com a abundância de dados na rede, o trabalho de PR se torna cada vez mais estratégico e pautado em performance, previsão e inteligência de mercado para extrair de todo o Big Data correlações, insights e novas estratégias. O trabalho de curadoria, não só de dados, mas também de conteúdos, se torna estratégico e fundamental para o sucesso do planejamento de PR de marcas e organizações. O SEO PR passará a fazer parte integrante das campanhas de comunicação, para apoiar as marcas em visibilidade e tráfego.

Social brands: Comunicação de Causas

Com a pandemia do coronavírus, vemos cada vez mais o que denominamos social brands: organizações se posicionando, levantando bandeiras de diversidade e inclusão em suas culturas internas, levando tais posturas para o trabalho de PR. As marcas estão abraçando propósitos de forma estratégica na chamada Comunicação de Causas. Serão empresas cada vez mais engajadas com o compromisso e transparência nas ações comunicacionais e mercadológicas das organizações.

Microinfluência e Brandcasting

Cada vez mais o público prioriza pessoas mais próximas em situações similares às delas. Daí, o surgimento de uma nova influência. Aquela da vida real, do dia a dia. Também destacamos o papel dos experts em determinados assuntos ou temas, os chamados microinfluenciadores. Estes ganharam visibilidade e credibilidade durante a covid-19, informando conteúdos de relevância.

As marcas entenderam também que podem serem agentes influenciadores digitais, fenômeno que chamado de brandcasters. Assim, surgem as marcas que se tornam porta-vozes de seus setores, produzindo e transmitindo informação a partir de seus perfis.

Novos formatos, novas plataformas e linguagens

Por fim, é preciso estar atento ao cenário “beta constante” que vivemos sem nos esquecermos de novos formatos, linguagens e plataformas em que nossos públicos possam estar. A covid-19 trouxe mais possibilidades para as atividades de PR com novos ambientes digitais emergentes investindo pesado em recursos de conteúdo e distribuição. Seja um micro vídeo produzido e pensado para ser consumido pelo smartphone, como via app Quibi; seja nos formatos ágeis de entretenimento, humor e movimento como os do TikTok; ou em estratégias de presença e relacionamento de celebridades com milhões de fãs, fora das arenas físicas, em plataformas de games… Fazer PR daqui por diante vai exigir cada vez mais um radar afinado às novidades e insights dos públicos, assim como flexibilidade e adaptabilidade ao “novo” por parte das marcas.

A única certeza que temos daqui por diante é: nada é, tudo está. Considerar novas ambiências, novas formas de se relacionar/interagir/atender/vender já faz parte do rol de atribuições dos profissionais de PR do presente e do futuro.

*João Francisco Raposo é especialista em Comunicação Digital, doutorando e pesquisador  no grupo Com+/USP. Carolina Frazon Terra tem pós-doutorado em Comunicação, é pesquisadora no grupo Com+/USP, professora na Faculdade Cásper Líbero, ESPM e ECA-USP

Agência A+
Author:

catorze − onze =

pt_BR