A Experiência: Um olhar da LUPA sobre o 1º Encontro A+ – A Magia e a Excelência em Serviços

Homero Reis, Tatiana Marzullo e Suruma Jurdi durante o 1º Encontro A magia e a Excelência em Serviços. (Foto: Guilherme Taboada/Divulgação Agência A+ Comunicação)

Queridos Tati, Leandro e toda equipe A+,

Quero deixar aqui registrada minha experiência pessoal do primeiro encontro “A magia e a excelência em serviços”, realizado na manhã do dia 19 de julho de 2014.

Quando cheguei ao Hotel Windsor e subi as escadas rolantes para me dirigir ao salão onde aconteceria o encontro já pude sentir a alegria de estar ali, participando de algo certamente muito maior e mais expressivo do que eu poderia supor.
O clima alegre da recepção pelas colaboradoras da Equipe A+ me direcionou carinhosamente às portas do salão onde o encontro estava prestes a acontecer…

Eu acredito assim: nossos valores vão adiante de nós nos abrindo portas. E penso que foi assim hoje: A “marca registrada” da A+, a alegria, definitivamente abriu as portas daquele salão hoje, senão para todos os participantes que ali estiveram, certamente pra mim… Foi um encontro muito alegre!

Entrei no salão e te vi, Tati, linda, comprometida com seu propósito, vestida com seu sorriso único no mundo, ágil e ávida por compartilhar um conteúdo que mudou e tem mudado sua vida profissional… Quanto amor! Sim, dessas coisas que só o amor é capaz de fazer.

Fui cumprimentada pelo Leandro, atencioso, atento, totalmente essencial. Daquelas pessoas humanas que estão no lugar certo, na hora certa, da maneira certa, fluindo, fazendo acontecer (simples assim, no pleonasmo mesmo).

Logo encontrei a querida Inêz, que faz o melhor bolinho de agrião do mundo, dei-lhe um abraço gostoso e me sentei ao seu lado e também ao lado do Igor, meu companheiro nesse e em tantos outros encontros da minha vida. Que alegria pelo convite para estar ali, que alegria a extensão do convite ao meu marido para termos acesso juntos a algo que eu sabia que também produziria um impacto positivo na sua vida. Sensação boa, gratidão, alegria, plenitude…

A música começou a tocar, era a mesma música que tocou quando foi dada a largada da primeira corrida de rua que participei, em 2009, uma das experiências que mudaria minha vida para sempre… VIVA LA VIDA! Um som alegre, um ambiente leve.
A Ana Paula Araújo entrou pelas portas do salão para apresentar com excelência esse encontro cheio de magia.
Mais que uma figura pública que eu particularmente admiro no exercício do seu trabalho, ter a oportunidade de olhar pra ela numa outra perspectiva, de perto, fazendo lembrar que somos todos gente embora e até na execução dos nossos contratos profissionais, foi algo do detalhe, do cuidado de vocês em nos apresentar um encontro com riqueza, qualidade, excelência e magia.

Assim como toda a excelente apresentação pessoal registrada até aqui, toda a apresentação impressa era igualmente excelente, tudo, detalhes gostosos de ver. Despertando minha curiosidade, aguçando minha criatividade, enquanto passeava com meus olhos pelos outros convidados, imaginava as histórias e os caminhos que nos haviam colocado a todos naquele encontro.
A palestra do Coach Homero Reis então começou e logo também minha emoção começou a se expressar em sorrisos, suspiros, lágrimas e discernimento… A magia e a excelência em serviços encontrou um lugar A+, nessa empresa que nos presenteava com o encontro. Obrigada, obrigada, obrigada.

Nesse momento, olhar pra trás e ver a expressão de realização da Tati, com seu sorriso lindo de se ver e sua alegria que não cabia no sorriso e por vários instantes se estendeu no movimento do seu corpo, numa dancinha igualmente linda de se ver, me fez ser mais uma vez grata, a Deus, por ser parte daqueles que desejam “ser tribo”, que desejam viver o propósito para o qual foram criados.

E o mais incrível: como uma empresa é capaz de proporcionar num mesmo evento essa diversidade de formas e conteúdos de sucesso aos seus clientes, parceiros, amigos e a todos que, como eu, tiveram o privilégio de viver esse primeiro encontro de magia e excelência em serviços.

Enfim, e novamente: Obrigada… e Parabéns!!!

Com carinho,

Lupa experiências criativas!

Luciana Costa

Crise: saiba como gerenciá-la

Há quem diga que cedo ou tarde ela chegará, que de uma forma ou de outra, toda empresa viverá a experiência de passar por uma crise, em menor ou maior intensidade.  Se incluirmos as pequenas situações críticas, que podem nos surpreender no dia-a-dia e impactar rapidamente a imagem da companhia de forma negativa , essa máxima é quase 100% verdadeira.

gerenciamento-de-crise

Nós aqui na Agência A+ acreditamos que a melhor forma de enfrentar uma crise é se antecipando a ela, com um bom plano de gestão de crise. Saber o que fazer, quem acionar e de que forma se posicionar, acredite, pode fazer a diferença para a sobrevivência da sua empresa.

O plano de gestão de crise além de ser uma ferramenta decisória para enfrentar o tal momento crítico,  permite que a empresa faça um diagnóstico prévio de suas fragilidades, que mapeie seus principais riscos e que trace as principais rotas de saída. É um documento completo, do tipo “temos, mas esperamos não precisar usar”.

Muitas crises, inclusive, são previamente detectadas nessa fase de análise detalhada da empresa e são devidamente minimizadas ou até mesmo evitadas, com alterações em processos, treinamento de pessoal e, principalmente, com o comprometimento de toda a empresa.

O plano de gestão de crise prevê também que os principais executivos da empresa – ou aqueles que poderão ser acionados para atuar ativamente em uma situação crítica – passem por uma vivência monitorada de crise. Isso quer dizer que eles devem ser preparados, com teoria e prática, para agir da forma menos tensa possível em uma situação delicada.

Como a sua empresa está estruturada para enfrentar as intercorrências e situações críticas? Se essa pergunta causou alguma preocupação, venha tomar um café conosco, temos certeza de que um bom plano de gestão de crise pode ajudá-lo.

Profissão: Mãe executiva

Estou na carreira de mãe executiva há quase 25 anos, na mesma empresa, trabalhando com uma equipe dos sonhos, que eu tenho orgulho de, de certa forma, ter ajudado na formação.

Profissão: Mãe executiva

Comecei como estagiária, aprendendo – aliás, faço isso até hoje, sempre – sobre as tarefas mais básicas, a rotina pura e simples, que, no início, parece ser questão  de vida ou morte.  Imagina, o nenê chora, o que será? Está doente? Deixe-me ir olhar de novo, quero ter certeza de que ele está respirando! Ai, tomou vacina, quase chorei junto…

Essa fase foi muito importante, porque me deu a sustentação necessária para todas as outras. Foi nesse período que eu percebi o que sei até hoje. Ali, naquele estágio, com mãos trêmulas e choro escondido no banheiro, cabelos despenteados e roupas que teimavam em não caber, que descobri que ser mãe é a minha profissão, é o meu papel no mundo, foi exatamente para isso que nasci.

Do estágio, fui para outras etapas. Passei por cada uma delas vivendo os momentos que me ofereciam: crises (O que, ela precisa ser operada?), conquistas (nossa, que mergulho lindo!), alegrias (sabe onde vamos nas férias?), sustos (tá bom, mas para de chorar para eu poder entender, você se machucou?), carinhos (hummm, que abraço gostoso!), broncas (você não poderia ter avisado que ia chegar tão tarde?), saudade (ah, você vai fazer o intercâmbio de seis meses na Espanha? Que bom…) ..

Na minha carreira de mãe executiva, contei com excelentes líderes, pessoas que me motivaram, aconselharam, que me mostraram opções no caminho, como minha mãe e meu pai, entre outros. Eles me viram começar, me viram tropeçar e tiveram paciência de me deixar errar e aprender.

Hoje, sou uma profissional mais segura, lido melhor com as situações, sei que manter uma equipe unida, alinhada aos princípios de ética, respeito e honestidade,  é um trabalho diário, que requer acompanhamento, doação e muito, muito amor.

O amor é o elemento mestre na minha carreira. Foi o que norteou e norteia minhas decisões, que justificou os “Nãos” e os “Sins” que precisei dar. É ele que conduz até hoje as reuniões com minha equipe, quando ficamos juntas falando muito ou rindo ou desabafando ou chorando ou simplesmente trocando carinho.

Cansa, viu? E como! Mas nas férias, quando viajo sem minha equipe, sabe o que acontece? Morro de saudade, penso nela o tempo todo…

Se eu quero me aposentar? Impossível, há profissões que estão tão dentro da gente que é não tem como dissociá-las do que realmente somos.

Aliás, aqui vai uma dica. Amamentar o filho é MUITO importante, o leite materno é o melhor alimento para o recém-nascido. Mas nem sempre isso é possível, e, nesses casos, não sofra mais do que deve. O  mágico vínculo mãe e filho não se restringe ao momento da amamentação, ele extrapola é baseado no amor, não no tipo de leite que você dá a ela.

Kelli Gonçalves – Diretora de Comunicação A+ São Paulo

Solicite um orçamento!